Publicidade
Publicado em 07/04/2022 08h17

Fertilizantes: Rússia vai segurar exportação até ano que vem

Por outro lado, traders de commodities começaram a restringir os envios de açúcar à Rússia.
Por: Leonardo Gottems

Em meio a uma crise mundial no fornecimento de fertilizantes, a Rússia anuncia que planeja continuar estabelecendo “cotas para as exportações” do insumo, pelo menos, por mais um ano. A informação foi confirmada por uma autoridade russa nesta terça-feira, 5 de Abril, conforme informação divulgada pela agência de notícias Reuters.

As limitações de vendas externas de fertilizantes afetariam os produtores rurais mundiais durante o próximo plantio de grãos de inverno, previsto para este outono de 2022, e durante o próximo plantio de grãos na primavera de 2023, conforme a citação dos russos.

“Além da (disponibilidade de) sementes, a chave para o sucesso da campanha de semeadura é a disponibilidade de fertilizantes minerais. Nas quantidades certas e a preços acessíveis”, disse a vice primeira-ministra russa, Viktoria Abramchenko, nas redes sociais.

As restrições de saída de fertilizantes nitrogenados, os quais a Rússia é um dos maiores vendedores globais, foi decidida por Moscou ainda antes do estouro da guerra na Ucrânia e era válida entre 1º de dezembro a 31 de maio. O presidente Vladimir Putin voltou a culpar os “países ocidentais hostis por fomentaram uma crise global de alimentos e preços de energia” ao impor sanções comerciais como forma de pressionar a Rússia a retroceder na invasão à Ucrânia.

AÇÚCAR VIRA ARMA

Por outro lado, traders de commodities começaram a restringir os envios de açúcar à Rússia, visando aumentar ainda mais a alta dos preços domésticos e aumentar a pressão sobre o governo russo. O açúcar é amplamente utilizado na Rússia, inclusive para preservação de frutas e fabricação de vodka. Viktoria Abramchenko disse à TV estatal Rossiya 1 que o país tem estoques de açúcar suficientes para atender à demanda antes que a nova safra de beterraba chegue em setembro.