Publicado em 23/09/2021 12h13

Tecnologia precisa chegar aos pequenos, dizem especialistas

"Temos a obrigação de produzir com qualidade superior e usar bem os recursos"

`

A incorporação das novas tecnologias à produção agroalimentar deve incluir os pequenos e médios produtores, a fim de eliminar as brechas competitivas que os prejudicam e favorecer o desenvolvimento do potencial agroalimentar da América Latina e do Caribe. Os expositores do seminário “Soluções digitais para melhorar o comércio e a rastreabilidade dos alimentos. O que é blockchain e como aproveitá-lo? ” coincidiram com esta premissa. 

O evento foi organizado pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Pesca da Argentina em parceria com o Instituto Interamericano de Cooperação para a Agricultura (IICA) que contou com a participação na modalidade virtual de atores do setor agroalimentar, tanto público como privado. As oportunidades de inovar por meio do uso de tecnologias digitais no comércio de produtos agrícolas e alimentícios incluem ferramentas como a internet das coisas (IoT), gerenciamento massivo de dados (big data), blockchain (blockchain), aplicativos móveis, inteligência artificial e o uso de drones, entre outros, cuja incorporação acelerou a pandemia. 

O secretário de Alimentação, Bioeconomia e Desenvolvimento Regional da Argentina, Marcelo Alós, destacou que a pandemia tornou os consumidores mais exigentes em termos de informações sobre alimentos. “Temos a obrigação de produzir com qualidade superior e usar bem os recursos. É essencial investigar alternativas para melhorar a segurança e segurança alimentar e as novas tecnologias nos dão a oportunidade. Temos que mostrar à sociedade como são produzidos os alimentos ”, disse o responsável. 

Autoria: Leonardo Gottems

  • Link:

Comente essa notícia

Publicidade
A Agroin Comunicação não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos. Todos os direitos reservados © Copyright 2019.