Publicado em 14/09/2021 16h20

Saiba como aumentar a resistência natural do tomateiro e ter ganhos em produtividade

Uso de soluções biotecnológicas reduz impactos do estresse ambiental na planta trazendo ganhos em quantidade e qualidade

`

O tomate está entre as culturas de hortifrúti mais produtivas. Ao longo dos anos, cada vez mais variedades que atendam às exigências do mercado têm sido desenvolvidas. Entretanto, a ocorrência de adversidades climáticas como altas temperaturas, frios prolongados e até mesmo excesso de chuvas, reduzem o potencial dos frutos. Como consequência, diminuem também a rentabilidade do produtor. Para que a planta consiga passar por esses fatores estressantes, que tem se tornado mais frequentes, favorecer a resistência natural dos tomateiros é essencial.

 

“Essa sensibilidade aos fatores climáticos vai interferir em todo o desenvolvimento do tomate. Por isso é importante ter um manejo que atenda às necessidades da cultura, seja o plantio em regiões específicas com híbridos adaptados ao local, seja atendendo também às demandas de irrigação, nutricional e exigências fitossanitárias do cultivo”, explica o engenheiro agrônomo Marcos Revoredo, gerente técnico especializado em hortifrúti da Alltech Crop Science.

 

Uma das maneiras de atender às demandas do tomateiro é a utilização de compostos orgânicos, como aminoácidos e polissacarídeos em conjunto com elementos nutricionais, entre eles: cobre e zinco. “Esses nutrientes participam tanto do crescimento e do metabolismo da planta, como estimulam a produção de compostos naturais de defesa, deixando o vegetal mais resistente a esses possíveis fatores estressantes. A recomendação é aplicar essas soluções sempre no momento de formação de novos tecidos, pois são as fases de mais demanda da planta e também de maior suscetibilidade às adversidades”, destaca Revoredo.

 

Para avaliar o efeito desse tratamento na fisiologia do tomateiro e a resposta na ativação desses compostos de redução de estresse fisiológico, a Alltech Crop Science, em parceria com o Centro Universitário de Patos de Minas (Unipam), realizou um estudo. Na pesquisa, foram feitas aplicações quinzenais da solução biotecnológica desde a formação da planta e nas fases reprodutivas e de formação dos frutos, fazendo avaliações de desenvolvimento do cultivo.

 

“Por meio do estudo verificamos o aumento da atividade da enzima superóxido dismutase, que está diretamente relacionada à produção de compostos de defesa da planta. Além disso, foi possível proporcionar maior equilíbrio da fisiologia para a produção de reservas por meio da ativação da enzima nitrato redutase. Com isso, conseguimos acumular mais nitrogênio e ter maior quantidade de proteína, resultando em melhor qualidade dos frutos e maior produtividade”, conta o engenheiro agrônomo.

Na pesquisa, desenvolvida com uma variedade de tomate industrial, o incremento de produtividade foi de aproximadamente 9% na comparação entre a testemunha e a área que recebeu o tratamento. Já o teor de brix° foi cerca de 12% maior nas plantas que receberam a aplicação da solução natural, o que resultou em um rendimento industrial em relação ao Brix° 23% maior.

 

Crédito: Alltech Crop Science

 

Informações para a imprensa

Camila Castro | Centro de Comunicação

camilac@centrodecomunicacao.com.br

Tel.: (41) 99972.1904

Autoria: Alltech Crop Science

  • Link:

Comente essa notícia

Publicidade
A Agroin Comunicação não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos. Todos os direitos reservados © Copyright 2019.