Publicado em 11/10/2017 11h20

Demanda deve puxar recuperação de preços do cacau

Puxado pela demanda

Com a nova safra prestes a começar, o cacau tem perspectivas positivas de produção mundial e dos preços no Brasil, segundo uma previsão da consultoria INTL FCStone. O período 20162017 foi marcado por uma queda nos preços de 26%.

Para a consultoria, as boas margens devem incentivar a moagem com mais crescimento econômico no país e valorização do euro. Os principais processadores de cacau, como Países Baixos (Holanda), Costa do Marfim e Estados Unidos, devem ter crescimento dos lucros na transformação do produto em amêndoas é 15% superior à média dos últimos cinco anos, de acordo com dados da FCStone. Os números chegariam a um recorde, ao menos comparado ao passado recente.

“Conclui-se, portanto, que existe um risco de alta para o preço do cacau, diante da possibilidade da produção não atingir as expectativas em um cenário em que a demanda deve continuar forte e crescente”, resume Fábio Rezende, analista de mercado da INTL FCStone.

A consultoria ainda informa que os primeiros relatos da safra apontam para uma boa produção com superávit entre oferta e demanda que aconteceu no período anterior. Isso manteria as cotações da commodity sob pressão.

“Embora haja um consenso de que a produção mundial de cacau em 2017/18 dificilmente atingirá o recorde estabelecido na temporada anterior”, conclui o analista Rezende.

Autoria: Leonardo Gottens | Agrolink

  • Link:

Comente essa notícia

Publicidade

A Agroin Comunicação não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos. Todos os direitos reservados © Copyright 2014