Publicado em 10/07/2024 17h15

Ação de empresa do agro sobe

Atualmente, a Cosan detém 70% da Moove.
Por: Leonardo Gottems

A Cosan (CSAN3), uma empresa destacada nos setores de energia e logística no Brasil, submeteu um pedido à Comissão de Valores Mobiliários dos Estados Unidos (SEC) para uma oferta pública inicial (IPO) de sua subsidiária de lubrificantes, Moove. Este movimento marca o primeiro IPO no Brasil em mais de dois anos, sinalizando um retorno significativo à atividade de mercado público.

O pedido à SEC não especifica a quantidade de ações a serem oferecidas nem a faixa de preço proposta. No entanto, fontes indicaram anteriormente que a Cosan está trabalhando com o Bank of America, JPMorgan Chase e Citi para o processo de IPO, destacando um forte apoio financeiro e estratégico.

A Moove é uma das principais produtoras e distribuidoras de lubrificantes na América do Sul, com operações estendidas também para a Europa e os Estados Unidos. A empresa atende diversos setores, incluindo automotivo, agrícola e industrial, posicionando-se como uma peça chave nos mercados globais de lubrificantes.

Atualmente, a Cosan detém 70% da Moove, enquanto os 30% restantes são de propriedade da CVC Capital Partners desde sua aquisição há seis anos, quando a empresa tinha valorização de R$ 1,9 bilhão. No primeiro trimestre deste ano, a Moove apresentou um desempenho financeiro robusto com um EBITDA de R$ 328,94 milhões e receita operacional líquida de R$ 2,439 bilhões, evidenciando sua saúde financeira e força de mercado.

O pedido de IPO representa um movimento estratégico da Cosan para capitalizar a forte posição de mercado e o potencial de crescimento da Moove, aproveitando o interesse dos investidores no setor de lubrificantes em meio à recuperação econômica global e ao aumento da atividade industrial.