Publicado em 09/07/2024 08h23

Problemas no feijão: “O bicho pegou”

Este cenário acende um alerta importante para o setor agrícola.
Por: Leonardo Gottems

O cenário acende um alerta importante para o setor agrícola. Foto: Divulgação

A infestação da mosca branca e a disseminação do mosaico dourado têm gerado grande preocupação entre os produtores de feijão no Brasil. Esta combinação devastadora tem dizimado plantações e causado prejuízos alarmantes, especialmente nas regiões do Noroeste de Minas Gerais e Goiás, conforme apontado pelo Instituto Brasileiro de feijão e Pulses (Ibrafe).

A ausência de um período mais frio, juntamente com a alta capacidade de proliferação da mosca branca Bemisia tabaci contaminada com o mosaico dourado, resultou em perdas significativas na produção. Plantios que inicialmente apresentavam bom desenvolvimento têm sido severamente afetados, com danos irreversíveis.

Apesar de a Companhia Nacional de Abastecimento (CONAB) ainda não ter refletido plenamente essa situação em seus levantamentos de safra, agrônomos, técnicos e produtores que acompanham de perto o cenário são unânimes: a produtividade do feijão será uma das piores dos últimos cinco anos.

Este cenário acende um alerta importante para o setor agrícola. A crise exige medidas rápidas e eficazes para controlar a infestação e minimizar os prejuízos, garantindo a sustentabilidade e a viabilidade da produção de feijão no Brasil. A situação demanda uma resposta coordenada para evitar que os danos se agravem, comprometendo não apenas a segurança alimentar, mas também a economia agrícola do país.

A mosca branca e o mosaico dourado representam uma ameaça real e imediata. A ação conjunta de autoridades, pesquisadores e produtores é crucial para enfrentar este desafio e proteger a produção de feijão, essencial para a alimentação e a economia nacional.