Publicidade
Publicado em 21/06/2022 10h59

Embarques de grãos da Ucrânia seguem caindo

Agricultores na Ucrânia plantaram 20% menos colheitas de primavera do que no ano anterior.
Por: Leonardo Gottems

As exportações de grãos da Ucrânia até agora em junho caíram em comparação com o mesmo período do ano passado, no que um funcionário da União Europeia chamou de "um verdadeiro crime de guerra", diz o agriculure.com. Os embarques de milho, trigo e cevada da Ucrânia caíram quase 56%, para 777.000 toneladas, informou a Reuters, citando dados do Ministério da Agricultura do país.

O país não conseguiu enviar grãos dos portos devido aos contínuos ataques russos que estão em andamento desde fevereiro. "Para as pessoas em todo o mundo, a guerra, juntamente com outras crises, está ameaçando desencadear uma onda sem precedentes de fome e miséria, deixando o caos social e econômico em seu rastro", disse o secretário-geral da ONU, Antonio Guterres, no início deste mês.

Agricultores na Ucrânia plantaram 20% menos colheitas de primavera do que no ano anterior devido à guerra em curso, disse a Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO) em um relatório, citando dados do Ministério da Agricultura. Um quarto dos produtores agrícolas da Ucrânia não tem os insumos necessários e não consegue combustível para seus equipamentos, disse a FAO. Os portos bloqueados estão forçando os embarcadores a usar rotas terrestres que estão causando atrasos "significativos".

Josep Borrell, chefe de política externa da União Europeia, disse no fim de semana que é inimaginável que a Rússia continue bloqueando as exportações de grãos da Ucrânia quando tantas pessoas estão passando fome. "Este é um verdadeiro crime de guerra", disse Borrell a repórteres, segundo vários relatos da mídia.