Publicado em 05/05/2022 11h31

Mercado cai e preços dos compradores não agradam

Enquanto isso, os preços recuaram também no Paraná.
Por: Leonardo Gottems

Com o recuo forte de 1,21% do dólar, mais que compensando a alta de 0,62% do dólar, os preços que os compradores puderam oferecer nesta quarta-feira foram menores do que os do dia anterior no Rio Grande do Sul. As informações foram divulgadas pela consultoria TF Agroeconômica neste meio de semana.

“As quedas continuam firmes no interior, mas com potência um pouco menor do que o que foi visto ontem, as perdas do dia foram de R$ 1,00/saca para todas as posições que já estavam igualadas anteriormente, fazendo com que Ijuí, Cruz Alta, Passo Fundo e Santa Rosa fechassem todos em R$ 195,00. Mesmo no interior nada foi visto em negócios, mas apesar das quedas Chicago voltou a subir levemente, os preços seguem sendo puxados pelas expressivas quedas do dólar que continua sujeito a enorme volatilidade”, comenta.

Santa Catarina teve preços estáveis e nada de negócios. “SC segue em baixíssima rotação, com os preços se mantendo ou passando por quedas dependendo do dia e nada ou quase nada em negócios, a colheita ainda toma muita atenção, mas tem avanço lento assim como demais regiões do Sul devido ao péssimo clima das últimas semanas. São Francisco do Sul segue equilibrado com Joaçaba a R$ 195,00, sem movimentos hoje”, completa.

Enquanto isso, os preços recuaram também no Paraná. “Mercado paranaense da continuidade a tendência mais forte de baixa, como visto na semana passada. Os preços recuam por todas as regiões, normalmente com ênfase nas perdas do porto. Hoje, no entanto, essa série foi quebrada e as quedas foram vistas de forma bastante expressiva no interior, a disposição a negócios segue sendo extremamente baixa devido as quedas nos preços e a volatilidade”, conclui.