Publicidade
Publicado em 03/03/2022 18h42

Pecuária: Europa aprova aditivo para reduzir emissões

O produto passou por uma rigorosa avaliação científica pela Autoridade Europeia para a Segurança dos Alimentos (EFSA).
Por: Leonardo Gottems

Os Estados-Membros da União Europeia (UE) aprovaram ontem a comercialização na União Europeia de um aditivo alimentar inovador. O produto, que contém 3-nitrooxipropanol, ajudará a reduzir a emissão de metano, um poderoso gás de efeito estufa, das vacas. Estima-se que este medicamento irá reduzir as emissões de metano de vacas leiteiras entre 20% e 35%, sem afetar a produção. Seu uso "é  seguro para vacas e consumidores, e não afeta a qualidade dos produtos lácteos", diz a Comissão.

A Comissária para a Saúde e Segurança Alimentar,  Stella Kyriakides , afirmou que “a inovação é essencial para o sucesso da mudança para um sistema alimentar mais sustentável. A UE continua a ser líder na garantia  da segurança alimentar, ao mesmo tempo que se adapta às novas tecnologias que podem tornar a produção alimentar mais sustentável."

O produto passou por uma rigorosa avaliação científica pela Autoridade Europeia para a Segurança dos Alimentos ( EFSA ), que  concluiu  que é eficaz na redução das emissões de metano das vacas utilizadas na produção de leite. Uma vez tomada a decisão, prevista para os próximos meses, o aditivo alimentar será o  primeiro  deste tipo disponível no mercado da UE.

“A redução das emissões de metano relacionadas à agricultura e pecuária é essencial em nossa luta contra  as mudanças climáticas  e a aprovação é um exemplo muito eloquente do que podemos alcançar com novas inovações agrícolas”, ressaltou o especialista.

Um  relatório  de 2021 do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA) concluiu que  as emissões do gado , provenientes de estrume e emissões gastrointestinais, representam cerca de um terço das emissões de metano produzidas pelo homem.