Publicado em 23/02/2022 11h10

Milho paraguaio segue nas alturas

Na Argentina os preços sobem muito seguindo a forte alta em Chicago.
Por: Leonardo Gottems

Os preços do milho paraguaio estão estáveis com comércio ocasional tanto para a safra de 2021 quanto para a safra de 2022, mas esse estável representa preços altos, de acordo com informações divulgadas pela TF Agroeconômica. “Choveu em algumas regiões na tarde e noite de domingo e em Ontem à tarde, isso deu um mínimo de alento e foi negociado um ou outro lote de milho 2022, mas nada significativo”, comenta.

“Mercado para trigo de 2021 tranquilo, com vendedores pedindo até US$ 15 acima dos preços do comprador. Mercado da safra 2022 ainda mais tranquilo. Mas, saíram negócios a US$ 285 e 290, FCA, safra 2021, no Sul, nesta semana. Em Ponta Grossa liquidaria US$ 335/t ou R$ 103,00/saca. Milho futuro compradores entre US$ 190/200 e vendedores US$ 210, o que liquidaria US$ 260 no Oeste de SC”, completa.

Na Argentina os preços sobem muito seguindo a forte alta em Chicago. “Os preços do milho argentino, convertidos em dólar/tonelada FOB UpRiver nesta data, avançaram US$ 9/t para US$ 288/t para embarque em março, safra nova. Mais frete de US$ 40, mais descarga de US$ 11 vezes o dólar do dia, equivale no porto a R$ 102,50/saca e no interior a R$ 108,50/saca mais ou menos, dependendo da distância”, indica.

“Para os demais meses o preço também avançou US$ 8/t para US$ 285 abril, US$ 9/t para US$ 285 maio, US$ 8/t para US$ 267 junho, US$ 8/t para US$ 259 julho e foi cotado a US$ 240 agosto. Já o preço para os navios Panamax subiu US$ 8/t para US$ 301 abril, US$ 8/t para US$ 267 julho não sendo cotado para agosto”, conclui a consultoria agroeconômica, neste meio de semana.