Publicidade
Publicado em 17/02/2022 10h55

MS avalia plano para estimular avicultura no Estado

O projeto planeja melhorias na infraestrutura e na dinâmica com os produtores.
Por: Estadão Conteúdo

Representantes do setor avícola de Mato Grosso do Sul apresentaram na terça-feira (15/02), à Secretaria de Meio de Meio Ambiente, Produção e Desenvolvimento Econômico e Agricultura Familiar (Semagro), a proposta do Plano Estadual da Cadeia da Avicultura - Pró Aves. O relatório, de acordo com nota da pasta, foi elaborado pela Câmara Setorial de Avicultura e Estrutiocultura, que reúne os produtores de vários municípios, com o apoio da equipe da Superintendência de Pecuária da Semagro.

O plano prevê a atração de agroindústrias, produção alternativa de energia elétrica, manutenção e melhoria de estradas, fortalecimento do associativismo, geração de emprego e renda e a criação de um subprograma para concessão de incentivos financeiros, citou, na nota, o presidente da Associação dos Avicultores de Mato Grosso do Sul (Avimasul), Adroaldo Hoffmann.

Para ser auxiliado com a medida, o avicultor terá que aplicar tecnologias que promovam a sustentabilidade econômica, social e ambiental no sistema produtivo; dispor de energia renovável em substituição à energia regular, fornecida pelas concessionárias/cooperativas; aplicar regras e conceitos de boas práticas agropecuárias (especialmente nas questões de biossegurança e bem-estar animal); possuir arco sanitário para veículos; dispor de ferramenta informatizada de gerenciamento zootécnico, sanitário, econômico e financeiro do estabelecimento avícola e dispor de programas de capacitação e treinamentos para os colaboradores da granja.

O secretário da Semagro, Jaime Verruck, elogiou a iniciativa e destacou que as reivindicações serão avaliadas pela pasta e demais órgãos do governo estadual. Ele reforçou que, neste momento, o Estado, por determinação do Conselho e Política Fazendária (Confaz), não pode criar programas de incentivos tributários. Mesmo assim, a superintendência de Indústria, Comércio e Serviços vai buscar meios de viabilizar o plano.