Publicado em 22/05/2020 19h52

Bactérias auxiliam plantas a reduzir álcool

O álcool em questão é o metanol

As plantas compensam sua produção de álcool atraindo bactérias que mastigam metanol às raízes, mostra um novo estudo da Universidade Heriot-Watt, na Escócia. Os cientistas sabem há muito tempo que as plantas são a maior fonte de metanol do planeta, um álcool muito abundante na atmosfera. 

No entanto, existe uma disparidade entre os grandes volumes de metanol que as plantas produzem e a quantidade que acaba na atmosfera. Na parte inferior da atmosfera, o metanol leva à formação de ozônio e formaldeído, o que diminui a quantidade de compostos que regulam os gases de efeito estufa. 

Cientistas do Lyell Center, da Open University e da University of East Anglia dizem que as plantas estão recrutando bactérias microscópicas em suas raízes para comer o metanol, e precisam receber algo em troca. Michael Macey, da Open, disse que usaram “isótopos estáveis para identificar quem estava fazendo exatamente o que”. 

"Os solos das plantas de trigo e ervilha foram incubados com metanol 'pesado', que possui o isótopo de carbono mais pesado, o C13. As bactérias que comem metanol acabam adicionando essa etiqueta ao DNA. Esse DNA é mais pesado e pode ser separado, permitindo identificar os micróbios exatos que absorvem o metanol”, completa. 

“Suspeitamos que os metilotróficos, que são pequenas, bastante comuns, bactérias de 1 a 4 mícrons, estejam por trás do desaparecimento do metanol”, indica Jennifer Pratscher, microbiologista ambiental do Lyell Center em Heriot-Watt. 

"Usamos sondas genéticas para descobrir quão abundantes elas estavam no solo ao redor das raízes das plantas, quantos tipos diferentes apareceram e como consumiram o metanol produzido pelas plantas", conclui. 

Autoria: Leonardo Gottems | Agrolink

  • Link:

Comente essa notícia

Publicidade

A Agroin Comunicação não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos. Todos os direitos reservados © Copyright 2019.