Publicado em 14/02/2020 17h23

Estudos avançam no detector de nutrientes das plantas

Os resultados fornecem uma compreensão mais profunda dos mecanismos pelos quais as plantas percebem quanto e quando tomar o nutriente essencial

Os resultados de pesquisas realizadas pela Universidade de La Trobe, na Austrália, podem levar a menos desperdício de fertilizantes, economizando milhões de dólares para os agricultores australianos. A equipe de pesquisa internacional descobriu uma proteína que pode detectar níveis vitais de fósforo das plantas e, em seguida, ajusta o crescimento e a floração em resposta. 

Publicado na revista  Plant Physiology, os resultados fornecem uma compreensão mais profunda dos mecanismos pelos quais as plantas percebem quanto e quando tomar o nutriente essencial, fósforo, para um crescimento ideal. A autora principal, Dra. Ricarda Jost, do Departamento de Ciência de Plantas, Animais e Solo da Universidade de La Trobe, disse que os benefícios ambientais e econômicos para os agricultores podem ser significativos. 

“Em países como a Austrália, onde os solos são pobres em fósforo, os agricultores estão usando grandes quantidades de fertilizantes de fósforo caros e não renováveis, como superfosfato ou fosfato de diamonium (DAP), que muitas das culturas não estão sendo cultivadas. absorvido efetivamente no momento certo para o crescimento ", disse o Dr. Jost. 

Usando a Arabidopsis thaliana, a equipe de pesquisa realizou testes genéticos adicionando fertilizante com fósforo e observando o comportamento da proteína. “Nossas descobertas mostraram que uma proteína chamada SPX4 detecta o estado dos nutrientes e altera a regulação dos genes para ativar ou desativar a aquisição de fósforo e alterar o crescimento e tempo de floração”, completa. 

Pela primeira vez, observou-se que a proteína SPX4 teve um efeito regulador negativo e positivo na absorção de fósforo e no crescimento resultante da planta. "A proteína detecta quando a planta ingeriu fósforo suficiente e diz às raízes para parar de absorvê-lo", disse Jost. “Se a bomba de combustível desligar muito cedo, isso pode limitar o crescimento da planta”, conclui. 

Autoria: Leonardo Gottems | Agrolink

  • Link:

Comente essa notícia

Publicidade

A Agroin Comunicação não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos. Todos os direitos reservados © Copyright 2019.